É PRECISO IR AOS EXTREMOS DE SI,
PARA QUE POSSA EXPERIMENTAR-SE POR INTEIRO !


Débora Vasconcelos

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

MAIS UMA - 03:22h - 17.02.2012

Mais uma se libertou
E esta indo embora
O que a gente não consegue resolver dentro
Mais fácil tentar lá fora

Ela optou por sofrer menos
Do que está sofrendo agora
A fase de adaptação passa
Mas dor de amor demora

Toda a mudança no caminhão
É bem menor que a mudança no peito
Certas coisas a gente concerta
Certos homens nunca tem jeito

É como se recuperar de um luto
A agonia não cessa
Mais uma hora o sol volta a brilhar
E a gente volta a ser o que era

Numa versão mais melhorada
Talvez mais inteligente
A rede que ele lançou nunca mais vai pescar
Uma mulher igual a gente

De todas coisas quebradas
Não houve perda maior
Do que as escolhas tomadas
O coração diminui, mas a cabeça dilata

O mundo novo de possibilidades
Se abre a partir de agora
Basta saber aceitar toda a nova felicidade
Sem se culpar como outrora

Redescobrir o prazer nos detalhes
E se tornar mais forte que um rochedo
Não deixando nunca o medo dominar
E não voltar por desespero

Mais uma se libertou
E esta indo embora
O que a gente não consegue resolver dentro
Mais fácil tentar lá fora

Débora Vasconcelos

2 comentários:

LIGIA MARIA disse...

"A dor do amor demora" e talvez nunca passe de vez. Sua cicatriz na alma estará sempre lá para nos lembrar.

Débora Cristina Vasconcelos disse...

Obrigada pelos seus comentários sempre carinhosos!!!! Beijos!!!